PGPSA/ARAQ ARAQUARI- C.C. PÓS-GRAD PROD.SAN.ANIMAL ARAQUARI - COORD. PESQUISA E INOVAÇÃO Telefone/Ramal: Não informado

Banca de DEFESA: MAILA PALMEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : MAILA PALMEIRA
DATA : 19/01/2024
HORA: 09:00
LOCAL: Web Conferência - Google Meet: https://meet.google.com/dij-wiws-kxh.
TÍTULO:

Curva de crescimento e nutrição in ovo em marrecos-de-Pequim.


PALAVRAS-CHAVES:

Carboidrato; Eclodibilidade; Ganho de peso; Mortalidade; Morfometria; Incubação.


PÁGINAS: 45
RESUMO:

O marreco-de-Pequim (Anas Boschas) é a principal linhagem explorada para a indústria global de produção de carne de pato e outras aves. No continente asiático exerce significativo protagonismo, sendo uma das fontes de carne mais importantes para alimentação humana. No Brasil a maior parte da produção se concentra na região Sul, sendo o estado de Santa Catarina o maior produtor e consumidor. Considerando a importância da espécie para a economia e consumo mundial, foi objetivado nessa dissertação: analisar a curva de crescimento e as concentrações de cálcio e magnésio sérico em marrecos-de-Pequim do nascimento a fase de pré-postura; e avaliar o efeito da inclusão de diferentes níveis de maltodextrina no período final de incubação em ovos sobre parâmetros de incubatório, metabolismo e morfometria intestinal. Foram realizados 2 experimentos, o primeiro avaliou 1.370 aves, sendo 1.100 fêmeas e 270 machos durante 21 semanas. As aves foram pesadas (10% do plantel – 100 fêmeas e 25 machos) ao nascimento e nas semanas 1, 2, 4, 5, 7, 9, 12, 14, 16, 18 e 21. As coletas de sangue foram realizadas nas semanas 1, 7, 14 e 21 sendo compostas por 40 aves de ambos os sexos. Foram realizadas as análises de cálcio e magnésio séricos e determinadas a mortalidade e viabilidade ao final do experimento com 21 semanas de idade. Os dados foram submetidos às análises de variância e regressão utilizando o software Statgraphics 18 ®. Houve efeito do sexo sobre o peso médio das aves (P<0,05) aos 6, 13, 23, 64, 80, 94, 111, 126 e 146 dias de idade, sendo observado o maior ganho de peso nos machos, com 62, 129, 102, 194, 440, 417, 397, 544 e 419 g, respectivamente (P<0,01). As aves permaneceram com a taxa de crescimento acelerada até os 10 dias de idade e após este período o ganho de peso foi menos intenso até as 21 semanas de idade. Machos apresentaram maior taxa de mortalidade em comparação com as fêmeas (18,40% vs. 7,78%). Houve interação entre sexo e idade das aves sobre os níveis séricos e cálcio (Ca) e magnésio (Mg) (P<0,01). Na semana 14 foram observados maiores níveis de Ca em machos em comparação as fêmeas. Maiores níveis de Mg foram observados em machos com 21 semanas de idade. No segundo experimento, foram incubados 1.080 ovos de matrizes de marrecos-de-Pequim entre 34 e 42 semanas de postura, em incubadora de estágio múltiplo. Em cada semana foram incubados 120 ovos. No dia 22 de incubação os ovos foram pesados individualmente e selecionados 80 ovos com peso entre 75 a 85 gramas, distribuídos de forma casualizada entre os quatro tratamentos experimentais, 0; 1,5; 3,0 e 4,5% de maltodextrina. Aos 25 dias de incubação, os ovos foram higienizados e inoculados com 250 µL de solução nutritiva a base de solução salina associada à maltodextrina nas concentrações de 0, 1,5; 3 e 4,5% no líquido amniótico de acordo com o tratamento. O orifício de inoculação foi vedado com parafina fundida e os ovos transferidos para o nascedouro. No nascimento, aos 28 dias de incubação, os marrecos foram pesados individualmente, sendo desclassificados os com desenvolvimento anormal e umbigo mal curado. Nas semanas 35, 39 e 42 foram eutanasiadas 5 aves por tratamento e realizadas as coletas de sangue, fígado e porções de duodeno e íleo, além das pesagens de proventrículo, fígado e moela. Os dados foram submetidos à análise de variância utilizando o software SAS. Houve interação entre maltodextrina e semana de produção sobre o peso ao nascimento e os pesos de proventrículo e moela (P<0,05). Os maiores pesos ao nascimento foram observados na semana 41 com a inclusão de 1,5% de maltodextrina e na semana 42 com a inclusão de 3,0% de maltodextrina. A inclusão de 3,0% de maltodextrina in ovo resultou em maior taxa de eclodibilidade e menores superfícies de absorção tanto de tanto do duodeno quanto do íleo. Com o presente estudo foi possível determinar a curva de crescimento e perfil de cálcio, além de estabelecer a maltodextrina como carboidrato eficaz na nutrição in ovo de marrecos-de-Pequim.


MEMBROS DA BANCA:
Externa à Instituição - PAULA GABRIELA DA SILVA - CONC
Externo à Instituição - FABIANO DAHLKE - UFSC
Presidente - 1085177 - VANESSA PERIPOLLI
Notícia cadastrada em: 20/12/2023 20:06
SIGAA | Diretoria de Tecnologia da Informação - (47) 3331-7800 | Copyright © 2006-2024 - UFRN - jboss-sigaa-03.sig.ifc.edu.br.sigaa03